sexta-feira, 31 de março de 2017

Evangelho de João (1,47-51)
 
Naquele tempo, (47)Jesus viu Natanael que vinha para ele e comentou: “Aí vem um israelita de verdade, um homem sem falsidade”. (48)Natanael perguntou: “De onde me conheces?” Jesus respondeu: “Antes que Filipe te chamasse, enquanto estavas debaixo da figueira, eu te vi”. (49)Natanael respondeu: “Rabi, tu és o Filho de Deus, tu és o Rei de Israel”. (50)Jesus disse: “Tu crês porque te disse: “Eu te vi debaixo da figueira? Coisas maiores que esta verás!” (51)E Jesus continuou: “Em verdade, em verdade eu vos digo: Vereis o céu aberto e os anjos de Deus subindo e descendo sobre o Filho do Homem”.

Deus fala sempre. Somos nós que temos dificuldades de entender a sua mensagem. O modo como ele nos fala nem sempre é como esperamos. A certeza é que ele nos conhece, mais do que nós mesmos, e sabe qual o caminho que devemos seguir.

domingo, 27 de março de 2016

Simplesmente

O amor se basta.
Não precisa de idiomas nem de palavras.
Não precisa de gestos nem de profecias.

O amor é simplesmente plenitude.
Sempre esteve no começo de tudo.


(“Nem muitas águas conseguem apagar o amor; os rios não conseguem levá-lo na correnteza. Se alguém oferecesse todas as riquezas da sua casa para adquirir o amor, seria totalmente desprezado.”) Cânticos 8.7

terça-feira, 26 de janeiro de 2016

As cartas de Paulo



O apóstolo Paulo deixou um acervo muito grande de cartas para a igreja. Foram 14 num período de 14 anos de vida pública. Seu estilo é bem formal como era o costume da própria época. Perguntas e respostas, apresentação, saudações iniciais, corpo da carta com a primeira parte dogmática e a segunda moral.

A ordem que está na bíblia não é cronológica, mas, pelo tamanho dos textos. A cronologia mais aceitável é essa, onde escreveu e quando:

Na 1ª viagem missionária não escreveu nenhuma carta.

- Na 2ª e 3ª viagem missionária (51 – 58 dC)
- 1ª e 2ª aos Tessalonicenses, em Corinto (52-54)
- 1ª aos Coríntios, em Éfeso (57)
- 2ª aos Coríntios, em Filipos (57)
- aos Gálatas e aos Romanos, em Corinto. (57)

No fim do seu 1º cativeiro (Roma 62)
- aos Filipenses, aos Éfesos, aos Colosssenses e a Filémon.

Entre o 1º e 2º cativeiro (63-65)
- aos Hebreus, na Itália (63 ou 64)
- 1ª a Timóteo, na Macedônia (64 ou 65)
- a Tito, na Macedônia. (64 ou 65)

Durante o seu último cativeiro
2ª a Timóteo, em Roma. (66)

quinta-feira, 29 de outubro de 2015

Jesus Cristo não escolhe, nós é que O escolhemos


(Atos dos Apóstolos 16. 11-15, 16-18, 26-31)


Deus salva na cidade de Filipos três raças diferentes. Lídia era asiática, da cidade de Tiatira; a jovem escrava era grega; o carcereiro era cidadão romano. A igreja de Filipos era multicultural e multiracial. Deus salva na cidade de Filipos três classes sociais. Na igreja de Filipos temos não apenas três diferentes nacionalidades, mas também três tipos bem diferentes da sociedade: Lídia era uma empresária bem sucedida, uma mercadora, comerciante de púrpura, uma das mercadorias mais caras do mundo antigo; a jovem possessa era uma escrava e diante a lei não era uma pessoa, mas uma mercadoria; o carcereiro era um cidadão romano, um membro da forte classe média romana que se ocupava dos serviços civis. Nessas três pessoas estavam representados as três classes da sociedade de Filipos. Não há, nenhum outro capítulo na Bíblia, que mostre tão bem o caráter universal da fé que Jesus trouxe aos homens. Deus salva na cidade de Filipos pessoas de culturas religiosas diferentes: Lídia era prosélita, uma gentia que vivia a cultura religiosa piedosa dos judeus; a escrava vivia no misticismo, comprometida com os demônios, possessa e o carcereiro acreditava que César era o Senhor e Deus.
A salvação alcança a todos os tipos de pessoas. Deus salva pessoas de lugares, de raças, de culturas e religiões diferentes. As barreiras que separam as pessoas são derrubadas. Pobres e ricos, religiosos e místicos, ateus e possessos podem ser alcançados pelo Evangelho. Jesus é o único Salvador.
Lídia já era uma mulher piedosa. O evangelho a alcança de forma calma e serena. Enquanto ela estava numa reunião de oração e ouviu a Palavra de Deus, Deus abriu o seu coração.
A jovem escrava era prisioneira de satanás nem seu nome a Bíblia registra. O Evangelho a alcançou enquanto ela estava nas garras do diabo. Ela era explorada por demônios e pelos homens. O diabo estava escravizando aquela jovem. Ele é assassino, ladrão, venenoso como uma serpente, traiçoeiro como uma víbora, feroz como um leão, perigoso como um dragão. O diabo é o pai da mentira. Ele é estelionatário: promete liberdade e, escraviza. Promete prazer e, dá desgosto. Promete vida e, paga com a morte.
Paulo não aceitou o testemunho dos demônios nem conversou com os demônios. Hoje os demônios falam e têm até o microfone nas igrejas. Paulo libertou aquela escrava do poder demoníaco. O diabo mantém muitas pessoas no cativeiro hoje também. Mas quando o Evangelho chega, os cativos são libertos.
O carcereiro era adepto da religião do Estado. O Evangelho o alcançou no meio de um terremoto, à beira do suicídio. Deus nos salva de formas diferentes. Por isso não podemos transformar a nossa experiência em modelo para os outros. Embora todas essas três pessoas tiveram experiências genuínas, cada uma delas teve uma experiência distinta. Todas elas se arrependeram. Todas elas foram transformadas.

quarta-feira, 29 de julho de 2015

Se a palvra de Deus não faz frutos, faz efeito


"Eis aqui por que muitos pregadores não fazem fruto; porque pregam o alheio, e não o seu. E pregar é entrar em batalha com os vícios; e armas alheias, ainda que sejam as de Aquiles, não dão vitória a ninguém. Quando Davi saiu para lutar com o gigante, ofereceu-lhe Saul as suas armas, mas ele não as quis aceitar. Com armas alheias ninguém pode vencer, ainda que seja um Davi. As armas de Saul só servem a Saul, e as de Davi a Davi; e mais útil é um cajado e uma funda própria, que espada e lança alheia. Pregador que peleja com as armas alheias, não convence ninguém nem derruba gigante algum." (Padre Antônio Vieira - Obra: Sermões)

sexta-feira, 24 de abril de 2015

Um dia, Saulo, no outro, Paulo


Seu nome era Saulo da cidade de Tarso
dedicado perseguidor dos discípulos de Jesus
numa viagem entre Jerusalém e Damasco,
ficou envolto a uma grande luz e cego,
mas teve a visão recuperada, após três dias,
por homem medroso chamado Ananias
que, na mesma hora, também o batizou
em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.

Agora, simplesmente Paulo,
“da linhagem de Israel, da tribo de Benjamim,
hebreu de hebreus; quanto à lei",
dizia com maior facilidade, sou fariseu;
era assim que se apresentava ao povo judeu;
não tinha porte elegante nem altura,
mas, profundo conhecedor das escrituras
culto e instruído pessoalmente por Gamaliel,
doutor das leis e um rabino muito zeloso e fiel.

Era muito meigo e carinhoso;
às vezes, severo, não abria mão das suas ideias.

Tinha uma irmã e sobrinho em Jerusalém
e a mãe, com toda certeza, morava em Roma
Teve que lutar contra os falsos profetas
que anunciavam um Evangelho fácil,
que fugiam da humilhação e da tribulação
e ainda anunciavam um Jesus sem a cruz.
Paulo, não, anunciava o Jesus Crucificado,
ainda que isso fosse escândalo,
no entanto, ressurreto entre todos os mortos.

Tudo para ele era tão simples e elegante
como as suas próprias palavras:
“Combati o bom combate,
terminei a minha carreira,
e guardei a fé.”

Teve muitos amigos e colaboradores
Tito veio do mundo pagão,
Timóteo veio do mundo judeu.
Lucas, apenas Lucas, o médico amado,
faziam companhia ao apóstolo missionário
Apolo Zena , Aristarco, Marcos,
Justo, Epafras, Onésimo e Aquila,
só para mencionar alguns homens
mulheres, mulheres foram muitas.

sábado, 21 de março de 2015

Ele virá

Quem não conhece Deus
não sabe qual caminho a seguir
não tem passado, presente nem futuro
e ainda anda sempre na escuridão

Deus é a claridade e a verdade
é aquele que derruba barreiras
abre todas as portas da terra e do céu
e esquadrilha todo o universo

Eu sei que Ele virá, eu sei!
Ele esteve no começo de tudo
sempre atento e muito amoroso
a tudo que seu Pai criou e planejou
por isso, eu sei que um dia Ele virá.

Os sinais estão aí, basta observar!
O Monte Tabor está lá intacto
onde Ele fará a sua guerra santa
para destruir o inimigo para sempre.